DÍGITOS DUPLOS NA LMP1 EM LE MANS


SÃO PAULO | Três anos depois, o Mundial de Endurance vai apresentando resultados bem satisfatórios. Dez protótipos LMP1 vão disputar as 24 Horas de Le Mans em 2013, um bom número, levando em conta que sete desses protótipos serão híbridos — três Audi, dois Toyota e dois Porsche. Somam-se a eles os dois carros da Rebellion e mais um da Lotus. Destes, nove estão confirmados para toda a temporada do WEC.

Achei interessante a declaração de Jean Todt, hoje, na apresentação das listas do WEC e de Le Mans, analisando esse período:

“Quando a FIA e o ACO se juntaram quatro anos atrás para formular o conceito do Mundial de Endurance, deixamos claro nossa intenção de devolver ao endurance a proeminência e a popularidade que  já teve no passado. Seu prestígio foi fundamentado em sua capacidade de gerar corridas empolgantes e heróicas em nível internacional em um ambiente que permite fascinantes invenções tecnológicas. Portanto, orgulha-me muito que nós nos aproximamos do início da terceira temporada do WEC e eu posso dizer com certeza que estamos cumprindo todas essas metas.”

Para mim, o grande êxito do primeiro mandato de Todt foi exatamente a recriação do Mundial de Endurance, que não existia há duas décadas — até porque, no que diz respeito à F1, o francês não tem conseguido conduzir muito bem as coisas, mas isso é conversa para outra hora.

2013-lemans-largada-toyota

Mas prova de que o WEC está dando certo é que já levantou outros campeonatos e corridas de endurance ao redor do mundo — vide a United SportsCar nos Estados Unidos, que nasce forte ao ponto de representar alguma concorrência ao certame da FIA. Num contexto um pouco diferente, totalmente destinado aos GTs, o Blaincpain está bem demais.

Os 31 carros certos para o campeonato todo de 2014 indicam estabilidade, com o aditivo de que a LMP1 cresceu. É a classe principal: o público mais leigo que começa a acompanhar a modalidade precisa ver disputas boas entre os carros mais rápidos, aqueles que andam nas primeiras posições e quebram os recordes de velocidade.

No início, Audi e Toyota protagonizaram uma boa briga. Em 2013, é verdade que os alemães destroçaram os japoneses, mas ao menos a briga interna pelo título foi agitada. E agora tem a Porsche, que é irmã da Audi, mas não chega para ser figurante.

Protótipos que contam com as últimas tecnologias da indústria automotiva encarando os maiores desafios do esporte a motor na atualidade e conduzidos por excelentes pilotos: Tom Kristensen, Lucas Di Grassi, Loïc Duval, André Lotterer, Benoît Tréluyer, Alexander Wurz, Anthony Davidson, Sébastien Buemi, Mark Webber, Timo Bernhard…

Há, ainda, o plano da Ferrari para entrar no Mundial. Não sei em que pé está a ideia, e até acho que estão demorando para definir, mas sei que, de fato, os italianos cogitaram desenhar um protótipo para voltar a brigar por vitórias nas 24 Horas de Le Mans — ganhar entre os GTs é muito difícil e a briga muitas vezes é ais intensa, mas os louros todos vão mesmo para quem leva no geral.

Pena que a Peugeot desistiu, porque os franceses trabalharam muito bem na década passada.

O Mundial não é só LMP1, mas é a LMP1 que vai puxar o resto. E, nas outras divisões, há também projetos interessantes e atraentes, como o da Alpine, que está de volta ao esporte. Aston Martin, Porsche e Ferrari vem brigando ferrenhamente nas classes de GT, e, nas 24 Horas de Le Mans, a Corvette ainda terá seu time de fábrica.

2014-lemans-noveaulogoEssa edição das 24 Horas de Le Mans está prometendo bastante. O ACO até lançou um novo logo, com linhas mais arrojadas, dizendo que, em 2013, o passado foi celebrado no 90º aniversário da corrida, agora é hora de pensar no futuro. E o futuro é animador no endurance.

MAIS DAS 24 HORAS DE LE MANS

Bruno Senna: Ainda não anunciou o que vai fazer da vida, mas foi colocado como capitão de um dos carros da Aston Martin na GTE Pro.

Fabien Barthez: É, ele mesmo, goleiro da França nas copas de 1998, 2002 e 2006. Já tinha falado dele aqui no blog quando ele venceu o campeonato francês de GT. Pois é, está de volta, agora para correr em Sarthe.

Sébastien Loeb: Sua equipe está inscrita na LMP2, e René Rast foi indicado como capitão.

Stefan Johansson: Sim, ele mesmo, sueco que correu na McLaren em 1987 e mudou para a Ferrari no ano seguinte. Tem 57 anos e, além de Le Mans, vai competir nas outras sete rodadas do WEC. Mas, não, não é o piloto mais velho a disputar as 24 Horas: ano passado, Jack Gerber estabeleceu um novo recorde ao participar do evento aos 68 anos.

Copa do Mundo: Tô nem aí pra ela até o dia 15 de junho.

Em tempo, aqui está a lista completa com os 56 inscritos.

PROMOÇÃO MERECIDA


2013-sebring-15-lucas di grassiSÃO PAULO | Lucas Di Grassi foi confirmado hoje como titular da Audi em toda a temporada do Mundial de Endurance. Após um ano e meio na montadora de Ingolstadt, o brasileiro convenceu Dr. Ullrich e seus colegas de que merecia a chance de substituir Allan McNish no protótipo que carregará o #1 em 2014. Seus companheiros serão o dinamarquês Tom Kristensen e o francês Loïc Duval.

Não se trata de nenhuma surpresa. Desde que o baixinho escocês anunciou a aposentadoria no mês de dezembro, Di Grassi já pintava como favorito, embora ele mesmo afirmasse não saber se seria titular. Restava mais é uma confirmação.

Lucas disputou quatro provas com a Audi. Estreou muito nas 6 Horas de São Paulo de 2012, quando era somente um convidado — iniciativa que envolveu a organização da etapa tupiniquim para promover o evento. Kristensen terminou a prova fazendo muitos elogios ao então novato. Aquela atuação lhe rendeu um contrato para 2013 e a participação nas corridas de 12 Horas de Sebring, 6 Horas de Spa-Francorchamps e 24 Horas de Le Mans. Foi ao pódio em todas, comportando-se muito bem dentro do R18 e-tron quattro. De quebra, ainda fez um teste no DTM.

A presença de Di Grassi no #1 significa que, pela primeira vez desde 2008, um brasileiro terá chance real de disputar um título mundial da FIA em um campeonato top de automobilismo. Aliás, salvo engano meu, ele será o primeiro brasileiro a correr com o #1 em um Mundial da FIA desde Ayrton Senna em 1992 — corrijam-me se eu estiver errado.

Esse acerto de Lucas com a Audi serve também para reforçar como há vida inteligente fora da F1. Pode até ter demorado um pouco para que ele tivesse a chance de disputar um campeonato inteiro como piloto contratado, mas ele se arranjou. Foi piloto de testes da Pirelli, da F-E, começou esse envolvimento com a Audi e disputará um título em 2014.

Capacetes de Di Grassi, Duval e Kristensen em foto postada pelo dinamarquês no Instagram

Capacetes de Di Grassi, Duval e Kristensen em foto postada pelo dinamarquês no Instagram

Os outros carros – André Lotterer, Marcel Fässler e Benoît Tréluyer vão continuar como parceiros em busca do bicampeonato mundial, e um terceiro carro, assim como em 2013, alinhará somente em Spa e Le Mans. Nesse protótipo, Oliver Jarvis foi mantido, mas terá dois novos companheiros: Filipe Albuquerque, que deixou o DTM para se dedicar ao programa de endurance da Audi, e Marco Bonanomi, reserva no ano passado.

Em tempo – As 6 Horas de São Paulo vão fechar a temporada 2014 do WEC. Culpa das obras que acontecerão em Interlagos. O cronograma ainda não foi completamente revelado, mas não permitiria a realização de um evento em agosto no circuito. De certa forma, um golpe para Emerson Fittipaldi, que vinha falando bastante em manter a corrida em agosto para fidelizar o público com a data. Isso também indica que a Stock Car não deve conseguir fazer a Corrida do Milhão na maior cidade do país — a prova está marcada para 3 de agosto. As alternativas são Curitiba ou Goiânia.

VESTINDO A CAMISA


2013-f1-19-BRA-SEG-webber-aeroporto-porscheMark Webber desapegou rápido da F1 e já vestiu a camisa da Porsche. Literalmente. Vejam só como que ele foi para Guarulhos pegar o voo para ir embora após o GP do Brasil, que marcou sua despedida e teve muita festa. Não sei se o contrato com a Red Bull já o libera para isso, se a Red Bull liberou, mas, se não gostar, foda-se também. Esse vai ser feliz e vai se dar bem no Mundial de Endurance no ano que vem. Será bem legal acompanhar.

Treinando para as 6HSP


SÃO PAULO | Falta pouco para a segunda edição das 6 Horas de São Paulo. Semana que vem, 28 carros estarão na pista em Interlagos na quarta etapa da temporada 2013 do Mundial de Endurance — a primeira realizada fora da Europa. E as equipes já estão se preparando. A Toyota colocou, no Facebook, esse vídeo de Anthony Davidson treinando no simulador no circuito de Interlagos.

Notem como é limitada a visão de dentro do cockpit desses protótipos LMP1. O piloto mal consegue ver o chão à frente do carro, ou seja, depende muito de pontos de referência próximos à pista. Legal também o próprio simulador da Toyota, montado em um carro de F1 da equipe — parece que é o modelo de 2008.

Davidson vai pilotar o protótipo #8 junto de Sébastien Buemi e Stéphane Sarrazin. O trio não é o principal da montadora japonesa, mas está à frente na competição dos pilotos.

2013-wec-04-interlagos-davidsonnosimulador

Clique na foto para ver o vídeo

Missa em memória a Christian ‘Bino’ Heins


SÃO PAULO | 14h10 | A quem interessar/puder, fica o recado (dica do Paulo Roberto Peralta): neste sábado, em São Paulo, será realizada uma missa em homenagem ao piloto Christian ‘Bino’ Heins. Em 15 de junho de 1963, há 50 anos, Heins morreu em um grave acidente durante a disputa das 24 Horas de Le Mans.

A cerimônia, que preparada por Ornella Heins, irmã de Bino, e pelo ex-piloto Chiquinho Lameirão, terá início às 15h, horário da morte do piloto. Será na Igreja São José, localizada na Rua Dinamarca, 32, esquina com a Rua Áustria, no Jardim Europa.

165 pilotos confirmados para as 24 Horas de Le Mans


SÃO PAULO | 18h22 | O Autómovel Clube do Oeste divulgou, nesta terça-feira, a lista completa de inscritos para as 24 Horas de Le Mans, que vão acontecer entre 22 e 23 de junho. Essa lista contém 165 nomes, sendo que o máximo é de 168. Falta a AF Corse anunciar o companheiro de Gianmaria Bruni e Giancarlo Fisichella e a GreenGT dizer quem são os pilotos que vão acompanhar Christian Pescatori no projeto experimental da prova deste ano.

Clique aqui para conferir a lista completa.

Se você der um ‘Ctrl + F’ e procurar por ‘BRA’, só vai encontrar um piloto brasileiro: Bruno Senna, que vai dividir o #98 da Aston Martin com Rob Bell e Frédéric Makowiecki. É que Lucas Di Grassi apareceu como italiano no arquivo divulgado pela FIA (ainda não sei o motivo disso).

Todos os vencedores da edição do ano passado retornarão a Sarthe, juntos ou separados. Juntos estarão o trio da Audi, André Lotterer, Marcel Fässler e Benoît Tréluyer (LMP1). Os atuais campeões da LMP2 estão todos separados, já que a equipe Starworks retirou a inscrição: Tom Kimber-Smith anda de Zytek-Nissan, e Enzo Potolicchio e Ryan Dalziel estarão de Ferrari e Viper, respectivamente, na GTE Pro. Fisichella e Bruni (GTE Pro) perderam Tony Villander para o outro carro da mesma equipe, Kamui Kobayashi e Olivier Beretta. Finalmente, na GTE Am, o trio da Larbre terá Julien Canal, Patrick Bornhauser e Ricky Taylor, em vez de Pedro Lamy (que integrou o conjunto em 2012 e agora pilota para a Aston Martin) ou mesmo Fernando Rees, que disputa o restante da temporada do Mundial de Endurance.

Destaque para Christophe Bouchut, inscrito pela Lotus na LMP2. Essa será a 20ª participação do francês, que estreou com vitória em 1993, correndo pela Peugeot.

Alexander Wurz, Allan McNish, Marc Gené, Sébastien Buemi, Kazuki Nakajima, Anthony Davidson, Nick Heidfeld, Bruni, Fisichella, Karun Chandhok, Kamui Kobayashi e Pedro Lamy, além dos brasileiros, são os ex-pilotos de F1 com lugar garantido (se eu não deixei nenhum passar batido).

Sobre o DTM e o WEC


2013-dtm-01-hockenheim-farfusSÃO PAULO | 17h45 | Esses dias de Indy no Anhembi foram bem puxados, então nem deu para escrever aqui no blog sobre as corridas do DTM e do WEC, que, dessa vez, não foram as melhores do fim de semana – a Indy superou todas.

Claro que o destaque foi a vitória de Augusto Farfus em Hockenheim, comprovando a boa forma da BMW. Era o que eu esperava. Admito que a Mercedes ter tantos carros andando na frente em certo ponto da corrida me surpreendeu, assim como a Audi ficar bem lá atrás no domingo, apesar de ter marcado a pole no sábado com Timo Scheider.

2013-wec-02-spa-podio#1No WEC, a Audi dominou, mas viu que a Toyota pode ameaçar um bocado sua hegemonia. O novo protótipo japonês é bom, rápido e tem uma boa autonomia, mas abandonou com um problema no motor elétrico que estava causando um superaquecimento dos freios. No fim das contas, vitória de André Lotterer, Marcel Fässler e Benoît Tréluyer, que deram o troco sobre o trio Tom Kristensen, Allan McNish e Loïc Duval. Eles estão empatados na liderança do campeonato.

O Audi #3, o modelo que será usado em Le Mans, se mostrou rápido, principalmente nas mãos de Lucas Di Grassi.

Eu falei mais sobre essas corridas do fim de semana na minha coluna no site GRANDE PRÊMIO. Clique aqui para ir lá ler.

Mudança na classificação do WEC


ANHEMBI | 10h | Um rápido parêntese na cobertura da Indy para falar do Mundial de Endurance, que está em Spa-Francorchamps, na Bélgica, onde tem corrida amanhã. Hoje é dia de treinos livres e classificação, que foi alterada pela FIA após a primeira experiência do novo formato, há três semanas, em Silverstone.

Em vez de 25 minutos, as sessões de classificação da LMP1/LMP2 e GTE Pro/GTE Am terão duração de 30 minutos.

O que não mudou, porém, é a regra da média das voltas registradas por dois pilotos. Isso continua valendo, apesar do caos do sistema de cronometragem em Silverstone, quando a definição do grid de largada saiu quase três horas depois do fim da tomada de tempos. Os dirigentes da categoria não planejam alterar isso nesta temporada, a princípio.

2013-wec-02-spa-testes-#3

Na pista em Spa estarão quatro brasileiros, com destaque para a estreia de Lucas Di Grassi no campeonato de 2013. Ao lado de Oliver Jarvis e do experiente Marc Gené, Lucas vai avaliar o novo protótipo híbrido da montadora alemã, mais comprido, com uma maior distância entre-eixos e uma nova asa traseira.

Os outros brasileiros são Antonio Pizzonia, Bruno Senna e Fernando Rees. Pizzonia e Senna venceram nas 6 Horas de Silverstone, sendo que Senna tem novos companheiros de equipe na Aston Martin: Frédéric Makowiecki e Rob Bell. Eles competirão no carro #98.

Aqui vocês podem ver a lista completa de inscritos. Sobrando um tempinho aqui na Indy, posto alguma coisa sobre WEC e DTM no fim de semana.

Reestruturação interna na Audi


2013-wec-01-silverstone-ullrich-gass

SÃO PAULO, 20h34 – A Audi tem um novo chefe para sua operação no DTM neste ano: Dieter Gass. Dr. Ullrich, o diretor-esportivo, continua mandando em tudo, como de costume, mas ficará mais focado no trabalho no Mundial de Endurance, passando o comando do DTM para Gass.

Gass trabalhou na Audi na década de 1990 antes de sair para integrar o projeto da Toyota na F1. Ele ficou com a montadora japonesa até a saída dela da categoria, ao término do campeonato de 2009, quando se mudou para a Lotus. Em 2011, foi chamado de volta para Ingolstadt e era figura constante tanto nas etapas do DTM quanto do WEC (mais do WEC, quando elas coincidiam). No projeto de Le Mans, Ullrich será auxiliado por Christoffer Reinke.

No ano passado, a Audi foi campeã do Mundial de Endurance, mas sofreu um tanto no DTM, onde não conseguiu disputar o título. Embora tenha fechado o ano com uma pontuação superior a da Mercedes, nenhum carro de quatro argolas chegou perto de vencer o campeonato de pilotos. Nas dez etapas realizadas em 2012, Edoardo Mortara conquistou duas vitórias, na Áustria e na Holanda, e Mattias Ekström triunfou naquele evento bobo de Munique.

Essa reestruturação interna é uma tentativa da marca melhorar o rendimento no DTM, até porque muitas das corridas acabam batendo com o WEC. Isso não atrapalhou no endurance, mas no DTM, onde a competição é mais acirrada com as outras montadoras, parece que acabou afetando um pouco.

“Ah, mas a Audi está em Le Mans faz tempo”. Sim, mas não disputando um Mundial. E, como nesse ano, a Toyota deve chegar mais perto, vale aquele velho ditado: dividir para multiplicar. Dividir os esforços para multiplicar os sucessos.

Quatro carros a mais no grid para a segunda etapa do WEC


6 Horas de Spa de 2012 foram disputadas com chuva

6 Horas de Spa de 2012 foram disputadas com chuva

SÃO PAULO, 20h17 – Foi divulgada hoje a lista de inscritos para a segunda etapa do Mundial de Endurance, as 6 Horas de Spa, que vão acontecer em 4 de maio. 35 carros estarão na pista, quatro a mais do que no último fim de semana, em Silverstone. Legal ver esse aumento.

Esses quatro carros são de quatro categorias diferentes: a Audi adicionou mais um protótipo LMP1 e, assim, terá três carros na Bélgica, a Gulf Racing Middle East voltou com um protótipo LMP2, a Aston Martin resolveu colocar na pista um terceiro carro na GTE Pro e a AF Corse vai ter uma segunda Ferrari na GTE Am.

Com relação ao brasileiro, destaque para a permanência de Antonio Pizzonia na equipe Delta-ADR. Ele venceu as 6 Horas de Silverstone na classe LMP2 junto de Tor Graves e James Walker, e queria continuar correndo nas etapas do WEC. Ao menos em Spa-Franchorchamps, correrá.

Bruno Senna terá novos companheiros agora. Ele dividirá o Vantage #98, que não andou na Inglaterra, com Frédéric Makowiecki e Rob Bell. Darren Turner e Stefan Mücke ganharam a companhia de Peter Dumbreck e, Paul Dalla Lana e Pedro Lamy, de Richie Stanaway. Essa mudança de carro diminui as chances de vitória do brasileiro, já que Turner e Mücke são bem mais cascudos, mas, como está na equipe que começou a temporada dominante tanto na GTE Pro quanto na GTE Am, estará na briga, é claro.

Na LMP1, o terceiro carro da Audi, que será pilotado por Lucas Di Grassi, Marc Gené e Oliver Jarvis não é a única novidade. A Toyota também vai estrear seu protótipo versão 2013, com Alexander Wurz, Nicolas Lapierre e Kazuki Nakajima ao volante. Sébastien Buemi, Stéphane Sarrazin e Anthony Davidson continuarão com a versão 2012.

Abaixo, a lista completa de inscritos para as 6 Horas de Spa:

FIAWEC2013_6_hours_of_Spa-francorchamps_provisional_entry_list_1