Jenson Coulthard x Enrique Kovalainen

Ultrapassar em Mônaco não chega a ser impossível, mas é bastante complicado. E Jenson Button sofreu muito com isso neste domingo, 27. O inglês ficou de fora ainda no Q2 da classificação, ficando com o 12º lugar no grid, e foi mal na largada, perdendo duas posições. Heikki Kovalainen, por sua vez, largou em 17º, e ganhou quatro lugares na largada. E Button nunca mais conseguiu deixar Kovalainen para trás.

O piloto da McLaren se retirou da corrida na 71ª volta e, exceto em 12 destes giros, devido aos pit-stops, ele não esteve preso atrás da Caterham do finlandês. Button reclamou e pediu até uma punição a seu antecessor na escuderia britânica, o que não faz muito sentido, afinal, não se tratava de um retardatário. Chororô. Em um ano ruim, Button já extrapolou a quantidade de erros que pode cometer em 2012 e vê as chances de conquistar o bicampeonato sumirem aos poucos.

Contudo, em meio à disputa intensa pela liderança e ao momento extremamente confuso que a F1 vive, a saga de Button na tentativa de superar o piloto do capacete dos Angry Birds passou, de certa forma, despercebida durante a corrida. Mas serve para que volte exatos 11 anos no passado, quando outra McLaren sofria nas ruas monegascas.

27 de maio de 2001. David Coulthard era o pole-position, mas ficou parado na volta de apresentação e foi forçado a largar do fim do grid. O escocês pagaria um preço caro por isso.

Com muito combustível em seu carro (quantia suficiente para que ele completasse 65 das 78 voltas sem precisar reabastecer). Na oitava volta, ele alcançou Enrique Bernoldi, 17º colocado. Ele bem que tentou superar o brasileiro mas, pelo menos 50 kg mais pesado, não foi capaz.

Os tempos que Bernoldi e Coulthard registravam estavam na casa de 1min24s, 1min25s. O líder, Michael Schumacher, girava pelos 3.340 m do circuito entre 1min20s e 1min21s. Logo eles levaram uma volta do alemão, e do segundo colocado, Rubens Barrichello.

Coulthard só conseguiu se livrar de Bernoldi quando o piloto da Arrows parou nos boxes, 32 voltas mais tarde. Aquele talvez tenha sido seu momento de maior destaque na F1. O escocês terminou em quinto, uma volta atrás; o brasileiro, em nono, a duas voltas. No vídeo, com melhores momentos extraídos da transmissão de uma TV holandesa, notem na empolgação dos comentaristas aos 3min38s e aos 5min50s com a situação.

A dobradinha da Ferrari naquele GP é a última vitória da escuderia italiana em Mônaco. Desde então, o hino italiano só tocou no principado para Jarno Trulli, em 2004, em seu único triunfo na F1.

Por fim, uma curiosidade extremamente inútil: a edição de 2007 do GP de Mônaco também aconteceu em 27 de maio, e viu uma dobradinha do time de Woking, com Fernando Alonso em primeiro e Lewis Hamilton em segundo. Era o 14º triunfo da McLaren no circuito. A equipe voltaria a vencer no ano seguinte, com Hamilton.

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s