Posições de largada que pouco importam

Tá, é verdade que quem largou na primeira posição venceu metade das corridas disputadas até aqui em 2012, e que em oito corridas o vencedor esteve na primeira fila. Também foram oito corridas em que o pole-position subiu ao pódio. Contudo, no conjunto da obra, largar na frente não é garantia de nada em 2012.

Se fossem conferidas pontuações aos pilotos por seu desempenho na sessão de classificação, Lewis Hamilton seria o melhor neste quesito. O inglês cravou duas poles na temporada de 2012 da F1, nos dois primeiros GPs do ano, na Austrália e na Malásia, e largou na primeira fila em outras três oportunidades.

O mais interessante de se fazer esse cálculo é notar que se trata de uma classificação completamente diferente da real. A impressionante vantagem de Hamilton mostra que a McLaren realmente tem um carro rápido, mas o time não está conseguindo reverter isso nas corridas.

O desempenho de Vettel é similar ao que ele está demonstrando nas corridas. Superior, mas similar.

A grande surpresa é Michael Schumacher em terceiro. Isso mostra que o heptacampeão está andando rápido, não está ultrapassado. Ele está bem melhor que Nico Rosberg, e não fossem os cinco abandonos nas sete primeiras corridas, certamente estaria bem melhor no campeonato.

Fernando Alonso e Mark Webber, por sua vez, estão bem melhores nas corridas. Seus resultados mostram que, com toda essa questão de gerenciar os pneus durante a corrida, não é largar na frente que garante algo na F1 de hoje. São líder e vice-líder do campeonato. A situação de Kimi Räikkönen, também.

Pastor Maldonado é o intruso no top-10. Force India, Toro Rosso, Sauber e as nanicas não aparecem entre os onze primeiros. Nem Bruno Senna, que nunca largou entre os dez primeiros.

Segue a classificação dos pilotos em classificações. Entre parênteses, a posição, a pontuação e o saldo dos mesmos na classificação que realmente vale alguma coisa:

1- Lewis Hamilton – 169 (5º, 92, -77)
2- Sebastian Vettel – 126 (3º, 110, -16)
3- Michael Schumacher – 101 (12º, 29, -72)
4- Fernando Alonso – 94 (1º, 154, +60)
5- Mark Webber – 94 (2º, 120, +26)
6- Nico Rosberg – 84 (6º, 76, -8)
7- Romain Grosjean – 69 (8º, 61, -8)
8- Jenson Button – 67 (7º, 68, +1)
9- Pastor Maldonado – 55 (11º, 29, -26)
10- Kimi Räikkönen – 53 (4º, 98, +45)
11- Felipe Massa – 24 (14º, 23, -1)

Dentre as equipes de ponta, a classificação está assim:

1- McLaren – 236 (3º, 160, -76)
2- Red Bull – 220 (1º, 230, +10)
3- Mercedes – 185 (5º, 105, -80)
4- Lotus – 122 (4º, 159, +37)
5- Ferrari- 118 (2º, 177, +59)

No placar das brigas internas de cada equipe, apenas dois empates, entre as duplas de Red Bull e dois Mercedes. Também temos duas varridas, de Alonso sobre Massa e de De la Rosa sobre Karthikeyan. A última vez que o indiano largou a frente de um companheiro de equipe foi no GP da China de 2005.

Red Bull – 5 a 5
Ferrari – 10 a 0 Alonso
McLaren – 8 a 2 Hamilton
Lotus – 7 a 3 Grosjean
Mercedes – 5 a 5
Sauber – 6 a 4 Kobayashi
Williams – 8 a 2 Maldonado
Force India – 6 a 4 Di Resta
Toro Rosso – 9 a 1 Ricciardo
Caterham – 7 a 3 Kovalainen
Marussia – 7 a 3 Glock
HRT – 10 a 0 De la Rosa

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s