O fim da espera de Nigel Mansell

Há exatos 20 anos, uma longa espera chegava ao fim. Nigel Mansell se sagrava campeão mundial. Dá para dizer que o fim de sua espera seria semelhante a um título de Rubens Barrichello em 2009. Na F1 desde 1992, Mansell pilotou para Lotus, Williams, Ferrari e de novo Williams. Foi o grande nome do automobilismo britânico na década de 1980, a grande esperança dos ingleses. O último súdito da rainha campeão mundial fora James Hunt, no distante ano de 1976.

Como de costume naquela temporada de 1992, a Williams esteve na primeira fila. Desta vez, o pole era Riccardo Patrese. Mansell era o segundo, e Ayrton Senna vinha na terceira colocação. No fim das 77 voltas, a vitória foi de Senna. A segunda de suas três naquela temporada. Mansell foi segundo e, assim, garantiu o título, por antecipação. Pela primeira vez desde 1986, o campeonato era decidido fora de terras japonesas.

Ao término da 11ª das 16 provas da temporada, Mansell somava 92 pontos. Patrese era o segundo, com apenas 40. Senna tinha 34. Não havia como bater Mansell a bordo daquela Williams espetacular projetada por Adrian Newey.

Aos mais curiosos, aqui está a íntegra daquela prova, que não foi das mais emocionantes. Nos comentários, está Hunt, que depois de 16 anos enfim passou o bastão.

Anúncios

4 comentários sobre “O fim da espera de Nigel Mansell

  1. Faltou dizer que o leão guiou para a McLaren. Depois que ele voltou à F1 em 1994, por conta da morte do Senna, ele se empolgou e fez algumas corridas para Ron Dennis em 1995.

    Resposta

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s