GP da Bélgica de prós e contras para Massa

A atuação de Felipe Massa no GP da Bélgica teve um ponto positivo para o futuro do brasileiro na Ferrari e na F1: a ultrapassagem sobre Mark Webber.

Com Fernando Alonso fora da corrida, o que ainda não acontecera desde o início do ano, mais do que nunca ele precisou dos serviços de escudeiro de Massa. Em algum momento, o espanhol ficaria pelo caminho e precisaria de seu companheiro para tirar pontos dos adversários na briga pelo título.

Se a fase de Massa fosse melhor, ele teria brigado pelo pódio com Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, o que não aconteceu. Mas a ultrapassagem que ele fez sobre Webber no trecho final da corrida serve não só para tirar dois pontos do australiano na briga, mas também para aumentar sua confiança.

“Olhando onde eu larguei e olhando onde eu cheguei,  foi um excelente resultado e uma motivação para continuar tentando melhorar para somar bons pontos até o fim do campeonato, porque isso será importante não só para equipe, mas principalmente para mim. Acho que essa foi uma ótima corrida, mas Silverstone ainda foi melhor”, declarou Massa, em entrevista que tá lá no Grande Prêmio. Na Inglaterra, de fato, ele andou bem, como um piloto de ponta. Na Bélgica, se valeu de circunstâncias.

Há tempos que Massa não era visto se envolvendo em brigas como as deste fim de semana, com Webber e, antes, com Bruno Senna. Em Silverstone e só, em 2012. Precisa fazer isso mais vezes. Mas pela recuperação ao longo da prova, até que o quinto lugar não foi ruim.

Por outro lado, a Ferrari também tem seus motivos para não gostar do quinto lugar de Massa. A equipe quer disputar também o título do Mundial de Construtores e, embora diga que confie no trabalho do piloto, deve saber que não dá para depender dele.

A Red Bull está disparada, enquanto McLaren, Lotus e Ferrari brigam pela segunda posição, mas ainda pensando em alcançar os rubro-taurinos. Na largada do GP da Bélgica, o trio ficou desfalcado ao ver Lewis Hamilton, Romain Grosjean e Alonso ficarem pelo caminho. Quem levou a pior foi a Ferrari, time que menos pontuou.

A classificação agora tem a RBR com 272, contra 218 da McLaren, 207 da Lotus e 199 de Ferrari. Um passo atrás das adversárias.

Perto do que vem fazendo ao longo do ano, chegar em quinto é bom para Massa. Mas, dependendo das circunstâncias, não é um grande resultado para a Ferrari. É isso que vai pesar no momento da renovação.

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s