Passando a régua: GP do Japão

A partir desta semana, vou publicar, nas segundas-feiras pós-GP um balanço de tudo o que aconteceu durante o fim de semana, baseado em informações e estatísticas de todas as equipes. O de hoje vem um pouco tarde porque, devido às eleições, em que precisei passar o dia servindo de mesário, passei mais de um dia sem dormir e não deu tempo de preparar a coluna. Aqui está, pois. Aí no meio tem alguns links do GRANDE PRÊMIO que levam a notícias com as declarações completas dos personagens mais importantes (ou nem tanto).

Vettel nunca pareceu ter tantas chances de ser tricampeão como parece ter agora

RED BULL: Além da vitória que deixou Sebastian Vettel a quatro pontos de Fernando Alonso na disputa pelo título, o fim de semana foi de marcas importantes para o alemão. A 34ª pole da carreira o fez superar Jim Clark e Alain Prost e assumir a segunda posição em todos os tempos. A 24ª vitória o colocou entre os dez maiores vencedores de todos os tempos na F1. E isso aos 25 anos de idade. Além disso, o domínio em Suzuka resultou em seu segundo grand-chelem (pole, volta mais rápida, liderança de ponta a ponta e vitória).

Mark Webber fez sua melhor classificação desde o GP da Inglaterra ao conseguir o segundo lugar no grid. Desde então, ele nunca havia largado além da sétima colocação. Mas, como de costume, largou mal e já ia perdendo posições quando Romain Grosjean acertou sua traseira. No fim, ele conseguiu dois pontinhos, mas está fora da disputa pelo título.

FERRARI: Felipe Massa fez sua melhor corrida em muito tempo. Largou em 10º, muito bem, diga-se, e conseguiu se esquivar das duas confusões que aconteceram à sua frente. Aí, com um excelente ritmo durante toda a prova, bateu Kobayashi e Button para conquistar o segundo lugar. O desempenho pode bastar para garanti-lo na Ferrari. Antes da prova, a BBC disse que, se Massa fosse bem em Suzuka, estava garantido para 2013. Depois da corrida, Stefano Domenicali classificou o desempenho de Massa como “esplêndido e verdadeiramente impecável”. Só se esquivou das perguntas sobre o futuro do piloto.

O pneu furado no toque com Räikkönen tirou Alonso da corrida em Suzuka

Já Fernando Alonso… GP para esquecer, se bem que isso vai ser bem difícil. Desde que assumiu a liderança no GP da Europa, o espanhou nunca viu o vice-líder tão próximo e as chances do tri tão ameaçadas. Ele acreditava que poderia largar em quarto, não fosse atrapalhado pelas bandeiras provocadas por Räikkönen no fim da classificação. Na largada, de novo o finlandês entrou em cena. Foi ele que Alonso espremeu para a grama e acabou tocando. O resultado, todos já sabem. Reclamações justas, as de Alonso, ao dizer que a Ferrari não levou atualizações para nenhuma das seis últimas corridas. Domenicali consentiu.

As presenças de Kobayashi e Massa no pódio foram esperadas por muito tempo

SAUBER: Kamui Kobayashi, enfim, subiu ao pódio – e diante de sua torcida. Demorou 55 corridas. O desempenho da Sauber nesse fim de semana foi muito bom. Resta saber o quanto isso vai ajudá-lo a continuar na F1. Enquanto Kamui festejou, a diretora da Sauber, Monisha Kaltenborn, disse que o pódio não o garante no ano que vem.

Outro motivo para a Sauber ficar contente é saber que esse resultado coloca o time na briga pela quinta colocação no Mundial de Construtores. Agora eles estão a apenas 20 pontos da Mercedes. Foi o quarto pódio da Sauber na temporada. Os alemães têm apenas três.

Sergio Pérez tinha a chance de contribuir para que o time ficasse ainda mais próximo, só que errou sozinho. Estava forçando, como deu para ver pelas duas tentativas de ultrapassagem sobre Lewis Hamilton. Na primeira, deu certo. Na segunda, acabou na caixa de brita.

McLAREN: A corrida da McLaren não teve brilho. Button fez ótima largada e se recuperou da perda de cinco posições pela troca no câmbio. Mas, vejam só, já no começo da corrida ele começou a reclamar de um novo problema no câmbio. A McLaren não está preocupada e Button não voltará a perder cinco posições, visto que a sequência de cinco corridas começará, em caso de troca, somente na Coreia. Acabou em quarto. Tentou alcançar Kobayashi e subir ao pódio, só que não dava para tirar Kobayashi do pódio ontem.

Lewis Hamilton mal apareceu. Devido a um erro “enorme” no acerto do carro para a classificação, ele largou só em nono. Na corrida, foi coadjuvante e apareceu em duelos com Sergio Pérez e Nico Hülkenberg para terminar em quinto. Martin Whitmarsh vê Alonso “sob grande pressão”, no entanto, não deixa seu time fora da briga.

Grosjean cumpre seu stop and go em Suzuka

LOTUS: Ah, Grosjean, de novo mudando a história de uma corrida na primeira curva. Acho que agora ele vai aprender. Digo isso por uma razão: a maioria de seus acidentes na primeira volta aconteceram quando ele largou nas primeiras posições. Em Cingapura, largou para trás. Após a suspensão, Suzuka foi a primeira vez em que Grosjean teve a chance de brigar por um pódio. E fez isso. Antes em sua defesa, dessa vez, a Lotus já deu a entender que não quer mais aturar esse tipo de coisa. Por conta do incidente, recebeu um stop and go. Fazia tempo que não via uma punição dessas (sem contar as punições aplicadas no GP da Inglaterra).

Kimi Räikkönen começou o sábado com problemas na barra estabilizadora de sua Lotus. A equipe trocou a peça, mas o problema não foi resolvido. Sua corrida foi discreta e ele terminou só em sexto. Sobre o toque com Alonso, disse que não havia o que fazer. Com o abandono de Rosberg, passa a ser o único que completou todas as corridas em 2012 e segue na terceira posição no campeonato.

FORCE INDIA: Pau di Resta e Nico Hülkenberg foram bem nos treinos, apesar de ambos terem se acidentado. Só que o desempenho na classificação já não foi tão bom quanto nos treinos, menos ainda na corrida. Com tudo o que aconteceu durante a corrida e tanta gente boa fora da briga, Hülk foi sétimo e Di Resta nem pontuou.

O último abandono de Nico Rosberg havia sido no GP da Itália de 2011

MERCEDES: Nico Rosberg e Michael Schumacher sequer passaram ao Q3. Schumacher classificou à frente, em 13º, mas perdeu dez posições. O heptacampeão tentou se recuperar e quase conseguiu pontuar, porém, não conseguiu passar Daniel Ricciardo e terminou em 11º. Rosberg viu sua corrida acabar ainda na primeira curva, após ser tocado por trás por Bruno Senna. Foi seu primeiro abandono na temporada de 2012.

WILLIAMS: Não achei que Bruno Senna merecia ser punido pelo toque acima. Culpa da transmissão da TV da Fuji, que certamente cobrava a mais de Bernie Ecclestone para exibir replays, porque foram poucos durante a corrida. A confusão estava armada, tinha gente atravessada no meio da pista, não dá pra punir ninguém que estava lá em bagagésimo quinto por um toque desses. Com a punição e a perda de tempo por conta do acidente, não deu para buscar muita coisa.

Após os primeiros pit-stops, Ricciardo chegou a ficar à frente de Koba e Button

Mas Pastor Maldonado foi quem surpreendeu ao passar ileso pelas confusões. Quem aprendeu com a punição do Grosjean foi ele. Já é a terceira corrida em que ele não se envolve em problemas. De quebra, ainda voltou a pontuar. É a primeira vez desde o GP da Espanha, que venceu, em maio.

TORO ROSSO: Fim de semana que começou mal na classificação. Seus dois carros só passaram ao Q3 porque Jean-Éric Vergne atrapalhou Senna. Na corrida, Daniel Ricciardo soube se aproveitar dos contratempos dos demais para entrar na zona de pontuação. Quarta vez que pontua no ano, mas segue atrás de Vergne por um ponto. Vergne foi 13º, após perder tempo atrás de Heikki Kovalainen no primeiro stint e de perder várias posições na confusão da primeira curva.

Kovalainen, como quase sempre, o melhor das nanicas

CATERHAM: Voltou a ficar à frente da Marussia. Kovalainen foi o 15º. Mas a vida da equipe não está mais tão fácil. Vitaly Petrov não deu conta de bater a equipe russa e ficou atrás tanto na classificação quanto na corrida. Na classificação, aliás, ficou atrás até da HRT. Petrov teve um problema no Kers e uma falha no rádio, que gerou a punição que recebeu por ignorar bandeiras azuis.

MARUSSIA: Glock e Pic foram bem no Japão, na medida do possível. Andaram mais perto da Caterham do que da HRT, e ambos superaram Petrov na classificação. O francês abandonou por conta de um problema no motor.

HRT: Gosto do otimismo das declarações de Pedro de la Rosa. “A corrida de hoje foi boa e podemos dizer que demos um passo à frente, apesar de ainda termos muito a fazer”, exclamou. É cada uma… Pedro foi o último colocado. Só que a notícia do fim de semana na última garagem do pit-lane foi Narain Karthikeyan dizer que pensa em se mudar para a Indy no próximo ano, onde acredita que pode ser mais competitivo. HAHAHA

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s