Adaptação concluída com sucesso

“Foi uma grande temporada para mim. Tivemos um final muito forte, com poles, pódios e uma vitória em meu primeiro ano na categoria”, disse Augusto Farfus depois do pódio deste domingo, em Hockenheim.

Ninho terminou sua primeira temporada no DTM no pódio. Foi receber um troféu que serve de prêmio para o bom desempenho que apresentou ao longo do ano.

O começo do ano teve algumas oscilações, mas nada que permite dizer que foi um começo ruim. Estreando no DTM, assim como a sua equipe, a RBM, e a BMW, aquele período seria de adaptação. O próprio Farfus admitiu isso.

Nas cinco primeiras corridas, somou 16 pontos. 15 deles, numa corrida só: em Lausitz, quando largou em segundo e chegou em terceiro. Teve uma chance boa para pontuar novamente em Norisring, a última do primeiro semestre, mas um grande acidente o tirou da prova na largada.

Adaptação concluída, a meta para o segundo semestre passou a ser pontuar em todas as corridas. Em uma entrevista ao GRANDE PRÊMIO, ele disse que esperava que a primeira vitória chegasse logo, com a certeza de que ela viria.

Nada do que Farfus falava era exagero, ou então uma tentativa de criar falsas expectativas. Ele pontuou em todas as corridas da segunda metade do ano: décimo em Nürburgring, nono em Zandvoort, quinto em Oschersleben, vencedor em Valência.

Esse foi o auge de 2012 para Farfus. Rápido durante todo o fim de semana, cravou a pole, liderou de ponta a ponta e venceu. Uma vitória maiúscula. Ocasional? Talvez. A confirmação da força do brasileiro veio com a segunda pole consecutiva, em Hockenheim, no encerramento do campeonato.

Farfus não interferiu muito na briga pelo título. Não dificultou para Spengler ultrapassar na primeira volta e atrasou um pouco Gary Paffett no primeiro stint. Nem tinha que. A briga foi boa só com os dois lá na frente. Em terceiro, ele foi ao pódio participar da festa da BMW e levou um troféu para casa.

Era ele quem merecia estar lá junto de Spengler, afinal, foi o segundo melhor piloto da BMW no ano, além de ser o melhor estreante da temporada. No fim, Farfus somou 69 pontos, a mesma quantidade de Martin Tomczyk, mas levou vantagem por ter uma vitória. Seu crescimento foi importantíssimo para a BMW vencer o título de marcas e ajudou sua marca a vencer cinco das dez corridas do campeonato.

Em 2013, Farfus voltará mais forte do que esteve em 2012. A tendência é que ande no mesmo nível que terminou essa temporada. Assim, brigará por novas vitórias e pelas primeiras posições do tabela de pontuação. Para uma estreia, 2012 foi mesmo uma grande temporada para Ninho.

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s