Hamilton deixa a McLaren como um dos melhores de todos

SÃO PAULO – A vitória de Lewis Hamilton pode ter sido a sua última como piloto da McLaren, embora ninguém na equipe queira falar em despedida e o discurso oficial fale em conquistar uma última vitória no domingo, em Interlagos. Mas, mesmo que se confirme como a última do britânico com um carro fabricado em Woking, é uma vitória ainda mais representativa.

O 21º triunfo da carreira de Lewis Hamilton o faz superar Mika Häkkinen, que venceu 20 vezes nos nove anos em que correu pela McLaren. O finlandês foi considerado pelo time, recentemente, o segundo melhor piloto de sua história. Logo, dá para ter uma noção do quão importante Hamilton é para a equipe. Apenas Ayrton Senna (35 vezes) e Alain Prost (30 vezes) comemoraram mais vitórias defendendo a escuderia fundada pelo neozelandês Bruce McLaren.

No pódio, foi visível a alegria de Martin Whitmarsh pela vitória em Austin, e também de Hamilton. Enquanto o chefe disse que vê um certo arrependimento na decisão de sair para a Mercedes, o piloto se mostra um tanto emocionado por deixar a casa que o abrigou por tanto tempo. O próprio discurso que fez ao se despedir da fábrica foi emocionante, segundo relatos. Apesar de algumas brigas e alfinetadas aqui e acolá, a relação continua boa, uma relação de família, em que as coisas acabam se resolvendo. Uma declaração de Anthony Hamilton após o GP dos EUA sintetiza isso: “Os Hamilton são sinônimos de McLaren e vice-versa, e penso que todos vamos sentir falta uns dos outros”.

Hamilton não deixa a McLaren como um traidor, mas como um dos melhores, como alguém a quem a equipe reverenciará no futuro. Faltou ganhar mais um, ou dois, ou vários titulos. A conquista solitária no campeonato de 2008 tem seu valor, mas um título num ano tão disputado como o de 2012, ou como foi o de 2010, teria bem mais.

Todavia, não dá para menosprezar os números de Hamilton nesta primeira fase de sua carreira. Além das 21 vitórias já citadas, são 25 pole-positions (Häkkinen tem 26 e Senna, 46) e 49 pódios (Coulthard tem 50, Häkkinen, 51, Senna, 55, e Prost, 62) em 109 corridas. Todas estatísticas podem crescer em uma unidade na corrida de despedida, no mesmo palco em que comemorou o título no mais incrível final de campeonato da história.

Anúncios

4 comentários em “Hamilton deixa a McLaren como um dos melhores de todos

  1. Ele vai sentir por algum tempo as diferenças na Mercedes. Não sei se os alemães poderão dar um carro vitorioso para ele. Se não forem capazes, ele vai voltar correndo para sua casa.

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s