Nada de anormal

SÃO PAULO, 23h21 – A decisão do título de 2012 pode não ter acabado. Eita campeonato para ter de tudo, mesmo. A Ferrari considera fazer um protesto formal junto à FIA, publicou o jornalista Andrew Benson, da BBC. Em pauta, uma ultrapassagem duvidosa de Sebastian Vettel sobre Jean-Éric Vergne, da Toro Rosso, na quarta volta do GP do Brasil. A manobra teria sido executada sob bandeiras amarelas.

O prazo para que a escuderia italiana consiga comprovar que houve uma irregularidade é 30 de novembro (esta sexta-feira) – só é possível apelar porque se trata de um fator que pode alterar o rumo do campeonato e Fernando Alonso passaria a ser o campeão de 2012. A Ferrari está analisando fragmentos de vídeo para conseguir mostrar que Vettel superou o piloto da equipe-satélite da Red Bull antes de passar por um ponto onde era sinalizada uma luz verde, como determina o regulamento. A causa das bandeiras amarelas foi o acidente de Pastor Maldonado, que está neste post anterior do blog.

Não é a única ultrapassagem controversa de Vettel na derradeira prova da temporada. O alemão precisava se recuperar do acidente que sofreu na primeira volta e foi com tudo para cima para ganhar posições. De repente, já estava em sétimo. Uma recuperação impressionante, que lembra a de Senna no GP do Japão de 1988, quanto este garoto de Heppenheim tinha apenas três meses de vida – 25 anos depois, vai se mostrando tão grande quanto aquele tricampeão.

Os demais lances polêmicos envolveram Kamui Kobayashi, duas vezes, e uma HRT. Acontece que, nas duas disputas com o japonês, não se tratavam de bandeiras amarelas, mas sim amarela e laranja, que indicam pista escorregadia. Já o piloto da HRT (confesso que não sei qual) simplesmente abriu caminho para Vettel, em meio às bandeiras amarelas.

Mas vamos focar nesse acidente que pode acabar mudando o rumo do campeonato. Na minha opinião, não vai. Primeiro porque a Ferrari não vai conseguir provar nada até sexta. Segundo, porque não há nada de irregular. Separei alguns elementos que servem para comprovar essa minha tese. Começo com o vídeo da ultrapassagem de Vettel sobre o francês.

Olhando por aqui, Vettel é culpado. Mas a sinalização naquele ponto não é feita apenas pelas luzes. Há um posto de fiscalização localizado do lado interno do circuito, na saída dos boxes.

Os quadrados verdes representam postos de sinalização com bandeiras; os amarelos, luzes

É o que estava sendo indicado neste posto que será determinante para o possível apelo da Ferrari. Quando Maldonado bateu, ali foi estendida uma bandeira amarela. Com o perigo restrito à curva do Lago, a bandeira foi trocada pela verde, e já estava assim quando Vettel, no fim do pelotão, passou por Charles Pic, da Marussia.

Não havia motivo aparente para que os fiscais voltassem a alertar para perigo naquele local. Sabendo disso, Vettel estava esperto. Agora vejam este vídeo em câmera lenta. Aos 38s, é visível que há algo se mexendo ali – uma bandeira verde sendo agitada.

Nada de anormal com a ultrapassagem.

Além do mais, Vergne tirou o pé. Deixou Vettel passar. Não ia nem pensar em atrapalhar o piloto que corre para seus chefes, no time coirmão, na disputa pelo Mundial.

Mas digamos que exista mesmo algo de errado. Aí Vettel terá 20s acrescidos ao seu tempo de prova. Uma corrida que terminou atrás do safety-car. O alemão perderia duas posições, apareceria em oitavo no resultado oficial e o tri por um ponto.

Seria a maior injustiça da história da F1. Mesmo que Vettel esteja errado, que mereça ser punido, não deve ser punido. O incidente aconteceu na quarta volta. Mais 67 foram disputadas. Havia mais de uma hora de corrida para que ele fosse punido e tivesse a chance de se recuperar. Como faria. Só que ele pode perder o título por causa de algo que veio à tona depois da corrida e que deveria ter sido investigado DURANTE o GP do Brasil.

É que nem o gol do Barcos, de mão, contra o Internacional. Pode até ter sido anulado de maneira ilegal, e o Palmeiras tinha o direito de recorrer. Mas não era algo moral. É fazer de tudo para conseguir uma coisa. E a conquista ficaria manchada. Se bem que os italianos e Alonso não parecem estar preocupados com isso. Passou. Ninguém tem que ser punido. Vettel é tri, consecutivo, legítimo, e vamos todos para 2013. Que Alonso, que deu indiretas no Twitter, e a Ferrari tentem mais uma vez no ano que vem.

Anúncios

2 comentários sobre “Nada de anormal

  1. Perfeito o post. O incidente, se é que houve um (na minha opinião, nada de errado), foi na 4ª volta. Os comissários decidiram que não houve nenhuma irregularidade e a FIA dificilmente vai mudar sua decisão uma semana depois. Se Vettel soubesse que seria punido com um drive through, teria descontado a diferença na pista. Além do mais, a corrida terminou com safety-car, qualquer diferença entre os pilotos foi mascarada, assim uma punição como essa seria injusta.

    Vamos botas os pingos nos i’s. Esse tipo de conversa só está sendo ventilada pela imprensa espanhola e fãs da Ferrari e de Alonso, a parte mais interessada em ver o circo pegar fogo. Para os demais, são favas contadas.

    Mas, enfim, o choro é livre. Um título conquistado assim, no tapetão, com todo o respeito, não valeria nada.

    Responder
  2. Coutinho,

    realmente nada de anormal, pois concordo com você, não foi o Vettel que ultrapassou, simplesmente o Vergne deixou ele passar….

    Pobre Ferrari.

    Responder

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s