A situação de Grosjean

Teve muita gente que ficou surpresa com a vitória de Romain Grosjean

Teve muita gente que ficou surpresa com a vitória de Romain Grosjean

SÃO PAULO, 15h09 – Romain Grosjean acabou de vencer Tom Kristensen na final do Race of Champions e se sagrar campeão da edição de 2012 do torneio. No caminho, vingou a derrota da França para a Alemanha na final de ontem ao ganhar de Sebastian Vettel e Michael Schumacher nas quartas e nas semi-finais. É uma conquista que não significa muita coisa, é verdade, mas cujo gancho aproveito para teclar algumas linhas a respeito da situação do franco-suíço, ainda sem lugar na Lotus para a temporada do ano que vem. Teve muita gente que ficou surpresa e fez brincadeiras, o que é uma injustiça com Grosjean.

Grosjean bateu demais, é verdade. Foram oito vezes na primeira volta das corridas. Quase 50% do campeonato. Conseguiu se recuperar em alguns casos, abandonou em outros e foi até mesmo suspenso por uma corrida, algo que não acontecia há 18 anos. Mas é preciso reparar uma injustiça que foi cometida: essa suspensão fez todos o criticarem, mas ninguém se lembra que foi a primeira punição desportiva aplicada ao carro de número 10 no campeonato! Sim, primeira punição que Grosjean recebeu por incidentes de corrida foi uma suspensão.

Gostaria de vê-lo no grid no ano que vem. Com a cabeça no lugar, mais tranquilo e cuidadoso, como se mostrou no fim de 2012, tende a melhorar, a não fazer mais as patacoadas. Tem futuro e pode até brigar por vitórias, caso o carro da Lotus se mostre tão bom como o deste ano.

O problema é mesmo a fama negativa que adquiriu. Éric Boullier quer mantê-lo na Lotus, mas apenas o desejo do chefe de equipe não parece ser suficiente para que o contrato, que já está pronto há dois meses, possa ser assinado. A recusa em autorizar o acordo vem de cima, provavelmente de Gerard Lopez, dono do grupo de investimentos Genii, dono da Lotus. Recentemente, chegaram a falar até que a fonte de receitas da escuderia de Enstone estava com dificuldades e pensava em diminuir o investimento, o que, é claro, foi negado.

Mas assim que Kamui Kobayashi e Bruno Senna viram a oportunidade de seduzir os dirigentes da Lotus com alguns milhões de dólares para ficar com a vaga de Grosjean, lá foram eles bater na porta da equipe. “Ooooi, meu nome é Kamui, sou piloto de F1 e tenho dinheilo para vocês”, ofereceu o japonês. Senna, idem.

Nenhum destes dois candidatos é mais rápido que Grosjean. Podem ser mais inteligentes, mais maduros, menos espevitados, mas não mais rápidos. Em sua primeira corrida de 2012, o primeiro ano completo na F1, Grosjean se classificou para largar na primeira fila. Uma demonstração do potencial do campeão da GP2 em 2011. Talvez ele precise da Renault ou da Total bancando sua permanência no grid no ano que vem, mas colocando o trio em condições de igualdade, mesmo precisando pensar três ou quatro vezes, justamente por causa das muitas batidas, acho que ainda optaria por Grosjean.

Atualizando – 16h23:

No fim desta tarde a novela chegou ao fim. A Lotus anunciou em seu site a renovação de Romain Grosjean para a próxima temporada. Lembrando do estardalhaço todo que vi no Twitter da equipe neste fim de semana por causa do Race of Champions, faz sentido. Não iam ficar exaltando a vitória do franco-suíço se a tendência não fosse a continuação dele.

Anúncios

3 comentários sobre “A situação de Grosjean

  1. Olá, senhoras e senhores!

    Ótimo texto, nos faz pensar sobre o desempenho do Grojão… Mas respeitosamente discordo que ele deva permanecer. Grojão fez a equipe perder muitos milhões de doletas ao fazer as suas cretinices. Com o carro que tinha, marcaria pontos em quase todas as provas, levando a Lotus a uma melhor posição dentre os construtores. Acho que o mercado tem muitas opções menos problemáticas.

    É isso ae! :) absssss

    Resposta
  2. Ótimo texto. Parabéns ae Renan. Concordo que Grosjean tenha velocidade, o que julgo ser seu ponto forte, no entanto, fora o prejuízo citado pelo Bruno Valle (que deve estar pesando na decisão da equipe), o franco-suiço conta com um retrospecto negativo não só na Lotus. Lembrando que na Renault em 2009, ele tb não teve muito êxito (devido a várias atrapalhadas, foi dispensado). Sei lá se isso tem correção. Na boa, fosse dono da Lotus dava uma chance pro Kamui. Ele tem condições de apresentar um trabalho mais consistente e convenhamos, ele é um piloto rápido sim. Esteve ao menos duas vezes entre os três primeiros do grid nas largadas de 2012.

    Resposta
  3. Legal o texto Renan, mas discordo que Kobayashi não seja uma opção viável para o lugar de Grosjean. Grosjean vai deixar de cometer estes erros com o tempo e prática, mas não é obrigação da Lotus esperar que Grosjean amadureça. Kobayashi é agressivo, rápido, não se mete em confusão em largada e, apesar da vantagem que os carros da Sauber dão neste quesito sabe cudar bem dos pneus, qualidade a ser considerada nestes tempos, ainda mais com o fato de qua a Lotus não é um exemplo de conservação de pneus. Acho que o japonês teria muito a contribuir com a equipe. A desvantagem é o pouco dinheiro que ele traria.

    Resposta

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s