Apelando para o passado

SANTA RITA DE CALDAS, 18h12 – A fase da Ferrari não é das boas, todos sabem. Apesar de ter sido vice-campeã de pilotos duas vezes nos últimos três anos, a equipe não conquista um título desde 2008, e não aceita isso. É time grande, realmente não pode se contentar com pouco. A questão é o que é feito para correr atrás do prejuízo recente.

Rory Byrne está de volta. Byrne foi uma das aquisições da Ferrari na metade dos anos 1990. O projetista estava no grupo que Michael Schumacher levou da Benetton para a Ferrari, junto de Ross Brawn. O trio foi de fundamental importância na sequência de títulos conquistados desde 1999, que devolveu aos italianos o posto de maiores campeões da F1 após uma longa crise de duas décadas.

rory byrne 2

Byrne vai trabalhar no projeto do carro de 2014, quando o regulamento técnico da F1 mudará drasticamente. A Ferrari espera aproveitar essa mudança para retomar a dianteira no Mundial.

A questão é: trazer Byrne resolve até que ponto? Com algumas ressalvas das diferentes funções desempenhadas por pilotos e engenheiros, tirar Byrne de sua pacata aposentadoria e de sua escola de mergulho na Tailândia é como trazer de volta Michael Schumacher para a F1.

Byrne vai encontrar um campeonato bem diferente do qual se afastou em 2006 e deixou definitivamente em 2008 – ele atuou como consultor por duas temporadas. É claro que o histórico de títulos do sul-africano anima – são sete dentre os construtores –, mas não é garantia de nada. Parece até o Palmeiras trazendo o Brunoro de volta, lembrando dos tempos da Parmalat, mas sem a Parmalat. Pode funcionar, pode não funcionar.

No tempo em que Byrne trabalhava em Maranello, além de contar com a companhia de Brawn, Todt e Schumacher, podia botar o carro na pista para testes quando quisesse. Não é mais assim. A Ferrari sofreu com isso nos últimos anos. Até fechou seu túnel de vento para corrigi-lo, de tão defasado que era.

2002-ferrari-launch

Logo, Byrne precisará se reinventar. Aprender a trabalhar sem o recurso mais fundamental de qualquer esporte, o treino. Aqui cabe uma observação na comparação com o retorno de Schumacher. Para um projetista, a tarefa de voltar após alguns anos é mais simples, afinal, ele trabalha num campo teórico, não depende de recuperar a forma física para competir na pista contra gente mais jovem. Mas precisa se reciclar para não ser superado no campo teórico pela nova geração. Ele está com 69 anos.

A mudança no regulamento para 2014 deve ajudar, já que todos estarão trabalhando em um conceito novo. Isso não significa que a tarefa será simples.

Resta saber se, desta vez, a Ferrari conseguirá fazer o passado ganhar títulos. Soberba, a equipe sempre se considerou superior às demais, como se os feitos do passado garantissem o sucesso no futuro. Vejo os últimos anos como exemplo disso. A estrutura que venceu cinco campeonatos seguidos se desfez por completo, mas Luca di Montezemolo continuou afirmando que a Ferrari era a melhor do grid. Não é a melhor desde 2004. Só trazer Byrne de volta não basta. Será preciso construir uma estrutura vencedora ao seu redor. Hoje, ela não existe.

E a ida de Christian Horner para a Ferrari?

Chefe da Red Bull, Christian Horner renovou contrato com a equipe tricampeã da F1 por “vários anos”. Dizem que até 2017, dado este não confirmado pelo time. Em dezembro, porém, ele foi para a sede da Ferrari para uma reunião. Segundo a imprensa italiana, tinha até um representante do RH nesse encontro. Agora, depois de um mês, Horner confirmou que realmente foi para Maranello, mas nunca para receber uma proposta e, sim, para conversar sobre o futuro da F1. Hum.

Anúncios

Um comentário sobre “Apelando para o passado

  1. Já que a Ferrari tem isso em mente, formar esta equipe forte, porque não trazer o Schumacher também, afinal a Ferrari não ganhava à 21 anos e quando ele saiu, até agora o Alonso não ganhou NADA. O Schumacher vai dar conta do recado, é só observar ele nos Karts em 2013. Acorda Ferrari !

    Responder

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s