Líder de problemas

SÃO PAULO, 0h42 – Meu pai, Antonio, 45, teve cinco carros na vida, todos da Fiat. Dois Unos, um prata e um vermelho, dois Sienas e um Linea prata. O Uno prata durou mais de dez anos, até ser roubado em janeiro de 2000; o vermelho tinha lá seus problemas, mas era velho já, usado, e foi trocado em 2004 pelo primeiro Siena preto, Fire, que só deu um problema: ficou sem bateria um dia antes de ser entregue ao seu segundo dono. Veio o segundo Siena preto, no fim de 2006, que não teve problema nenhum até ser roubado, em janeiro de 2013. E veio um Linea, em 2010, esse…

Desde que meu pai comprou o Linea, em fevereiro de 2010, o carro precisou ser guinchado seis vezes. Seis. Em todas as ocasiões, o problema foi no câmbio automático. A garantia de três anos vai vencer na quinta-feira que vem, dia 28 de fevereiro.

empurrando carro

Não é Linea básico não. É completo, com todos os itens que a Fiat certamente se gaba de ter produzido. O câmbio é o Dualogic, o câmbio fodão. E, é preciso dizer, o acabamento é muito bom. Mas de que adianta ter um carro bonito e bem acabado se ele não anda?

A primeira vez que meu pai parou com esse Linea foi cinco minutos depois de tirá-lo da concessionária Amazonas, na Avenida Morumbi. No caminho de casa, parou no semáforo entre os shoppings Morumbi e Market Place, na faixa do meio, e dali só saiu em cima do guincho, horas mais tarde. Câmbio e rodas travaram cinco minutos após deixar da concessionária, zero quilômetro, devido a um vazamento de óleo. Dias depois, problema consertado e carro, enfim, nas mãos.

Depois disso, foram dois anos sem problemas, até maio de 2012. Em horário de pico, na agradável Avenida Ibirapuera, o câmbio travou. Por sorte, na frente de um estacionamento, e ajudaram meu pai a tirar o carro da rua. A terceira vez foi em setembro, na garagem do prédio onde trabalha. A quarta, em dezembro, na Rua Funchal.

Além desses travamentos que não eram corrigidos ligando e desligando o motor, o câmbio automático, em alguns vários momentos, não voltava para neutro quando o carro era parado. Ficava em terceira marcha. Nas idas à concessionária, isso não aconteceu, e uma possível solução para o problema não foi encontrada.

Nessa mesma época, meu pai foi ao Procon. Lá, escutou da orientadora que ela viu apenas uma vitória do consumidor em um caso semelhante, em que o reclamante ganhou um carro novo. Para isso, seria preciso deixar o carro por tempo indeterminado nas mãos da Fiat, até o desfecho do processo. Não dava para ficar sem. E, no fim de janeiro, sobrou só o Linea, sozinho, coitado, diante da perda do irmão.

No Carnaval, estávamos em Minas Gerais, na casa de familiares. Num dos dias, meu pai foi até Poços de Caldas. Adivinhem? Câmbio travou, claro. A 267 km de casa. O carro ficou em Poços até o último sábado (16). Nesse meio tempo, na concessionária local, sugeriram uma troca na bateria, já que um problema na bateria estaria ocasionando uma alimentação ruim. Bateria trocada e, nesta quinta-feira (21), o guincho foi acionado pela sexta vez.

Para voltar de MG e para trabalhar neste período, meu pai está usando carros alugados. Alguém vai pagar por eles?

Como disse, a garantia vence no próximo dia 28. Depois disso, sabe-se lá quanto que vamos gastar com esses tantos problemas. Mas como pode o carro ser guinchado seis vezes em três anos, todas elas para oficinas da Fiat, e o problema não ser resolvido? Não dá para entender uma coisa dessas. E aí, Fiat, o que vai ser?

Nunca trouxe problemas pessoais aqui para o blog, mas acho que esse é o caso agora. Até porque é um blog de automobilismo, faz sentido. Algum dos blogueiros que leem este espaço tem histórias semelhantes para contar? Há 11 anos que a Fiat é líder de vendas no Brasil. É também de reclamações?

Anúncios

7 comentários sobre “Líder de problemas

  1. Rapaz, meu pai teve 4 Palios: 2000 ELX 1.3 16v, 2004 HLX 1.8 e um ELX 1.4 2008. Todos da mesma cor, um cinza chumbo,kkkkkkk. O novo, 1.0 2013 é vermelho. Comprou todos zerinhos, inclusive um desses mais novos. Fica lá em casa, pra minha irmã e minha mãe rodarem. Sempre vieram com alguns probleminhas, como disco de freio empenado, farol que queimava várias vezes, tampa de porta mala empenado e por aí vai.
    Esse último, que eu saiba, não apresentou nenhum problema. E os outros a concessionária daqui sempre resolveu os problemas a contento. Detalhe: nenhum é automatizado.
    Meu irmão também teve um Palio, Fire. E teve alguns probleminhas, como volante torto e outras coisinhas. Mas sempre resolveram. Hoje ele tem um Bravo. Detalhe: Não é automatizado.
    Nesse meio tempo ele teve Agile 2010, da GM. Esse sim era terrível. Cheio de barulhos, acabamento ruim. De quebra, o péssimo atendimento da concessionária, que chegou a quebrar o para-brisas do carro durante uma revisão. Hoje ele tem um ASX da Mitsubishi e ele adora ir na concessionária pro atendente atualizar o GPS dele enquanto toma um café e bate um papo kkkkkk.
    Enfim, o problema do seu Fiat é o danado do Câmbio automatizado. E a moça do Procon esta certa, eles não dão um carro novo nem a pau.
    Nesse caso seu pai tem dois caminhos: 1 – ele vende o carro, o que é uma pena, pois é um bom carro. 2 – leve o carro para uma oficina especializada em câmbio. Tenho certeza que eles vão dar um jeito e seu pai não vai ter mais dores de cabeça.
    A conta da oficina: acione a Fiat, provando que as concessionárias não resolveram o problema e que seu pai teve que resolver o problema por conta própria. Aí sim, vocês vão receber uma grana.
    Abraços

    Responder
    • Que marca VAGABUNDA. Eu nunca mais na minha vida quero ter FIAT. Achei essa reclamação em um Blog e lembrei do meu pálio, literalmente um LIXO. Eu tinha um zero km, depois comecei a sentir cheiro de gasolina na garagem, infestou a casa toda, mas levei na concessionária e me disseram que o carro nada tinha. Achei que o cheiro era das motos do vizinho e fiquei um tempão chateada com eles. Depois de dois anos minha amiga sentiu o cheiro e olhou debaixo do carro e disse que no tanque de combustível “espirrava” um pouco de gasolina, ela deitou embaixo do carro e viu. Levei o carro para um mecânico e ele me disse que a espessura do tanque era muito fina e talvez alguma pequena pedra tenha trincado o metal. Ele ficou perplexo porque achou muito fina a lata do tanque. Bom, como a concessionária não viu isso? Por que fabricam um tanque tão fino? Nem estão aí com a gente em matéria de segurança, já pensou se eu paro o carro e tem um cigarro aceso? Poderia ter explodido o carro e morrido, odeio essa marca. Depois disso comprei o honda civic e hoje tenho o toyota corolla, na minha opinião não existe carro melhor.Sem contar que era 1.0 e não andava, uma tartaruga e quando começou dar problemas de mecânica eu tive que sair correndo.

      Responder
  2. O Linea nada mais é do que o marea, eu já tive um marea zero e só deu problemas, certa vez eu estava parado no trânsito, ele tinha um ano de uso e na hora que fui sair eu acelerava e ele não saía do lugar, simplesmente o freio havia travado as quatro rodas, eu disse: AS QUATRO RODAS!! Tive que chamar um guincho; bom, na segunda vez,2 anos depois,aconteceu de novo, e paguei um valor ABSURDO no concerto porque disseram que estava fora da garantia, passados 6 meses travou tudo de novo e na rodovia dos Imigrantes, e lá vem o guincho, sabe o que eu fiz? Arrumei e vendi imediatamente, isso sem contar outros problemas GRAVES que ocorreram na mecânica,suspensão,etc. Conversando com o pessoal de uma agência de veículos usados, me disseram que essa MALDITA mecânica da FIAT é herança do antigo “Alfa Romêo” que era outra “bomba” que só dava problemas, virou marea e depois Linea.

    Responder
  3. Vou lhe dizer uma coisa… Você é uma pessoa de sorte. A zebra foram os outros, que nunca lhe deram problema. Fuja de Fiat e Chevrolet. São os piores que existem… ABçs e boa sorte!

    Responder
  4. Possuo um Cinquecento com cambio dualogic, estou gostando, funciona perfeitamente. Zero problemas com um ano de uso. Vou comprar como segundo carro um Fiat Gran Siena 1.6 dualogic com borboletas no volante.

    Responder
  5. Tive 2 Palios, e vendi ambos com mais de 90mil Km. Tive um Punto 1.4, que comprei zero e vendi com 117mil Km. Nunca me deram problema.
    Só que sempre ouvi falar mal destes câmbios automatizados monoembreagem. Meu cunhado comprou um Linea e falei pra ele fugir do Dualogic, pois é uma bomba mesmo! Bom que ele comprou manual e está gostando. Também já li muitos casos de problemas com o Easytronic, da GM.
    Por hora, pra mim carro é com câmbio manual ou automático. Automatizado, jamais.

    Responder

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s