RON DENNIS MANDANDO DE NOVO NA MCLAREN

rondennisSÃO PAULO | Não que Ron Dennis tenha deixado de mandar na McLaren em algum momento, mas o comunicado divulgado nesta quinta-feira pela equipe foi muito significativo: a insatisfação com o ano de 2013 é enorme.

Chefe de equipe até 2009 e CEO do Grupo McLaren até 2012, Dennis vai voltar a ocupar o cargo de CEO, que estava nas mãos de Martin Whitmarsh. A decisão foi tomada pelos acionistas do time, ou seja, ele mesmo, Mansur Ojjeh e o grupo barenita Mumtalakat. E o britânico já chegou prometendo mudanças: vai investigar cada parte da escuderia para descobrir o que tem dado errado nos últimos anos.

Claro que já começam a pintar muitas especulações e dúvidas sobre qual vai ser o futuro do time e, especialmente, o de Whitmarsh.

De acordo com a ‘Autosport’, Dennis falou aos funcionários na fábrica em Woking por cerca de 20 minutos na manhã da quinta-feira. Whitmarsh não estava presente… Por enquanto, ele continua no posto de chefe de equipe, mas Ross Brawn está solto na praça, e muita gente diz que pode pintar por lá.

Trocando ou não o team principal, a mudança na direção do Grupo McLaren é um recado: “Estou de volta para fazer o negócio dar certo.” Em outras palavras…

shitjustgotseriousRon Dennis chegou à McLaren no início da década de 1980. A Marlboro estava descontente com a sequência de fracassos da gestão de Teddy Mayer. Desde os títulos de Emerson Fittipaldi e James Hunt, nada de bom acontecia. O promissor Alain Prost saiu de lá puto da vida no final de 1980, após sofrer vários acidentes provocados por falhas mecânicas em seu ano de estreia na F1. Nos bastidores, John Hogan, homem-forte da Philip Morris, mexeu os pauzinhos e promoveu a troca de Mayer por Dennis. A história, todos conhecemos: foram dez títulos mundiais em pouco mais de duas décadas, com Niki Lauda, Alain Prost, Ayrton Senna, Mika Häkkinen e Lewis Hamilton.

Não coincidentemente, 1980 havia sido o último ano em que a McLaren não conquistou nenhum troféu, não foi ao pódio nenhuma vez. Em 2013, o melhor resultado foi  o quarto lugar de Jenson Button no GP do Brasil. Muito pouco para quem investe muito dinheiro.

Meu palpite — só palpite —  é que Martin Whitmarsh não vai sair. Ainda não. Mas o caldeirão de Woking vai voltar a ferver, e com o big boss observando tudo com olhos muito atentos.

 

Anúncios

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s